Pular para o conteúdo principal

O livro de Jó - parte 2

Primeira Parte: Preparação do Cenário


Lição 2: Prólogo (1:1- 3:26)

I. Introdução e provação de Jó (1:1 - 2:3)

A. O justo Jó (1:1-5)

1. Jó é apresentado como um homem de destacado caráter espiritual. Ele é descrito assim: aquele que era inculpável, reto, temia a Deus e repelia o mal.

2. Jó oferecia regularmente sacrifícios por seus filhos, caso algum deles tivesse "amaldiçoado a Deus."

a. A idéia de blasfêmia ou desafio a Deus é um pensamento demasiado forte para o significado desta frase. A palavra traduzida literalmente se refere à bênção que acompanhava a partida de um visitante (veja Gênesis 31:55; Josué 22:6).

b. Jó estava preocupado com que seus filhos pudessem ter se apartado de Deus em seus corações, isto é, esquecido Deus e sua presença no meio de suas vidas diárias.

3. Esta descrição de Jó é especialmente importante à luz de acusações posteriores pelos seus três amigos.

B. O rico Jó (1:1-5)

1. Jó era abençoado a ponto de ser a mais grandiosa de todas as pessoas do oriente.

2. Ele tinha dez filhos.

3. São as bênçãos de Jó que ressaltam sua futura pobreza e sofrimento.

C. Confrontação no céu (1:6-12; 2:1-6)

1. Na primeira confrontação de Satanás com Deus, Satanás acusa Jó de possuir uma piedade interesseira.

a. Satanás sustenta que se Jó for privado de suas bênçãos materiais, ele cessará de servir ao Senhor.

b. O Senhor concede a Satanás poder para retirar tudo o que Jó tem, mas impede-o de ferir a pessoa de Jó.

2. Na segunda confrontação, quando defrontado com a fidelidade de Jó, Satanás afirma que Jó renunciará ao Senhor uma vez que sua pessoa real tenha sido afetada.

3. Deve-se notar que:

a. Satanás não tem poder para afligir Jó, a menos que Deus lho permita.

b. Satanás, mesmo no seu desejo de tentar destruir, realmente serve aos propósitos de Deus.

D. A provação de Jó (1:13-22; 2:7-8)

1. Perda dos bens materiais.

2. Perda dos membros da família.

3. Perda da saúde.

a. Alguém poderia sugerir que a doença de Jó possa ter sido uma forma muito severa de lepra, também conhecida como elefantíase-dos-gregos. Esta é conhecida algumas vezes como lepra negra, porque a pele fica enegrecida.

b. Qualquer que fosse a doença, parece claro que Jó sofreu com ela durante algum tempo e que foi muito séria e penosa. Alguns dos seus sintomas e efeitos podem ser deduzidos das passagens seguintes: 2:7-8, 12; 3:24-25; 7:4-5, 13-15; 19:17, 20; 30:17-18, 30.

c. A "cinza" mencionada em 2:8 é uma referência ao lugar fora da cidade onde estrume e outros resíduos seriam descarregados e periodicamente queimados. É bem provável que Jó tenha escolhido seu lugar ali porque sua doença tornava-o indesejável na aldeia.

E. As reações da esposa de Jó e dos amigos (2:9-13)

1. Parece que a esposa de Jó não era uma nobre personagem como ele. Ela o adverte a "dizer adeus a Deus" e morrer (veja 1:5 para a mesma palavra).

2. Pode ser que o conselho da esposa de Jó também seja o resultado da idéia de que o sofrimento é totalmente por causa do pecado. Ela raciocina que uma vez que Jó está sofrendo enormemente, ele deve ter pecado imensamente e está separado de Deus. "Amaldiçoar a Deus" não pioraria sua relação, mas poderia trazer morte e alívio para seu sofrimento temporal!

3. Os três amigos de Jó chegaram e sentaram-se com ele na terra, e permaneceram em silêncio durante sete dias; um período de luto comum pelos mortos (Gênesis 50:10; 1 Samuel 31:13), e isto pode ser alguma indicação de seus sentimentos pela situação dele.

II. As palavras de Jó a respeito de si [o seu monólogo] (3:1-26)

A. Jó amaldiçoa o dia de seu nascimento (vs. 1-10). De maneiras variadas, ele deseja que nunca tivesse nascido.

B. Na segunda parte de seu discurso, Jó continua dizendo que se ele tinha que nascer, teria sido melhor se tivesse nascido morto (vs. 11-19). A morte é pintada como uma libertação das dificuldades desta vida.

C. Jó termina seu monólogo sugerindo que acolheria com prazer a morte, porém ela não vem (vs. 20-26).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONSEQUÊNCIAS DO PECADO NA VIDA DO HOMEM DE DEUS

CONSEQUENCIA DO PECADO!?

O PECADO TRÁZ CONSEQUENCIAS INIMAGINÁVEIS, MESMO QUE O PECADOR VENHA A ARREPENDER-SE.
TODO ERRO TERÁ A SUA PENA, O SEU PREÇO, MESMO QUE HAJA ARREPENDIMENTO.

TOMEI COMO EXEMPLO BIBLICO, PARA EXPOR ESTA ANÁLISE BIBLICA A VIDA DE DAVI.
UM MENINO QUE DURANTE SUA JUVENTUDE DEDICOU-SE EM SIMPLICIDADE DE VIDA A LOUVAR AO SENHOR DEUS DE ISRAEL COM A SUA HARPA.
MAS QUE JÁ EM FASE ADULTA, COMO REI DE ISRAEL COMEÇOU A DESENCADEAR ALGUNS ERROS, OU, DIGA-SE DE PASSAGEM, PECADOS QUE AOS OLHOS DO HOMEM PARECIAM NÃO TER GRANDE IMPORTÂNCIA, MAS COMO VEREMOS TIVERAM GRANDE INFLUÊNCIA NÃO SOMENTE NO MEIO FAMILIAR, MAS TAMBÉM NO REINADO DE DAVI..
MESMO QUE, DEUS DISSE, SER DAVI O HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS.
MAS ISTO TUDO ACONTECE PARA QUE HOMEM ALGUM POSSA SE SENTIR IMUNE AO PECADO, SENDO UM SERVO DO SENHOR. TODO HOMEM PECA, MAS O ARREPENDIMENTO SINCERO TRÁZ NOVAMENTE A CONVIVÊNCIA E A COMUNHÃO COM DEUS. PORÉM DEVEMOS SABER QUE QUALQUER PECADO COMETIDO, MESMO HAVENDO ARREPEN…

Sobre o uso do véu

Quando Paulo apóstolo escreveu a carta aos Corintios, não lhes escreveu por mero capricho, mas para dar-lhes ensinamentos com os quais todos podiam achegar-se mais próximo do Senhor. No cap. 11 - ICoríntios, podemos ler no primeiro versículo. -SEDE MEUS IMITADORES, COMO TAMBÉM EU DE CRISTO. Se Paulo queria que o povo o imitassem, é claro que ele mesmo cumpria exatamente aquilo que ensinava. E o povo com toda certeza aceitava de bom grado os seus ensinamentos como podemos comprovar logo em seguida no versículo 2. -E LOUVO-VOS IRMÃOS, PORQUE EM TUDO VOS LEMBRAIS DE MIM, E RETENDES OS PRECEITOS COMO VO-LOS ENTREGUEI. Vamos analisar aqui esta frase que Paulo escreveu aos Coríntios. Paulo louvava aos seus irmãos de Corinto, pois eles lembravam de Paulo em tudo. Quando se diz tudo isto significa que nada fica de fora. E os corintios retinham os preceitos. Traduzindo estas palavras em seus sinônimos temos: RETER: verbo- ter ou manter firme, segurar com firmeza- Guardar em seu poder( o que…

Lucia Menna

Em 1907, esta irmã estava juntamente com luiggi Francescon, e um grupo de irmãos italianos, na missão da rua Azuza, onde recebeu o batismo do Espírito Santo, juntamente com outras irmãs daquele grupo, sendo elas, Rosina Balzano, e Dora Di Cicco. Lucia Menna, acompanhou os irmãos Luis Francescon e G. Lombardi, na viagem para a Argentina. Sua parentela, pertencente a familia MICHELANGELO MENNA, obedeceu a palavra do Senhor, ao todo 6 almas, no lugar denominado San Cagetano, em 28/11/1909. Atravéz desta familia, surgiu uma grande igreja naquele lugar, até hoje existente, com o nome que iniciou desde o princípio- ASSAMBLÉA CRISTIANA, apesar que o histórico da Atual Assemblea Cristiana, data de novembro de 1916, tempo em que foi legalmente fundada. Uma semente plantada em 1909, que prosperou e cresceu rapidamente.