quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

AS OBRAS PELA FÉ

AS OBRAS PELA FÉ Da maneira que alguns pregam sobre a graça de Cristo, é como se o homem já está salvo por meio da fé apenas. Isto é o que dá a entender, de que basta crer em Jesus e Ter fé assim o homem já está salvo. Isto é um grande engano. A fé sem obras é morta, como escreveu Tiago em sua carta, cap. 2 vs: 14. MEUS IRMÃOS, QUE APROVEITA SE ALGUÉM DISSER, QUE TEM FÉ E NÃO TIVER AS OBRAS? POR VENTURA A FÉ PODE SALVÁ-LO? Em todo o texto Tiago explica claramente que a fé é importante se acompanhada das obras. AINDA, COMO O CORPO SEM O ESPÍRITO ESTÁ MORTO, ASSIM A FÉ SEM OBRAS É MORTA. Tiago 2 vs 26. Vejamos Hebreus cap. 11 vs.1, ORA A FÉ É O FIRME FUNDAMENTO DAS COISAS QUE SE ESPERAM E A PROVA DAS COISAS QUE SE NÃO VÊEM. Nisto Paulo quis claramente definir o que realmente é a fé. Se esperamos alguma coisa que não vemos e acreditamos em algo que não vemos, temos fé. Também Paulo deu exemplos de fé. Homens que pela sua fé em Deus, alcançaram obras. Noé, Abraão, Izaque, Jacó, Daniel, e outros mais. Porém estes exemplos citados, nos mostram que junto à fé cooperou também as obras. Tal como Tiago também escreveu. POR VENTURA O NOSSO PAI ABRAÃO NÃO FOI JUSTIFICADO PELAS OBRAS QUANDO OFERECEU SOBRE O ALTAR O SEU FILHO IZAQUE? BEM VÊS QUE A FÉ COOPEROU COM AS SUAS OBRAS, E QUE PELAS OBRAS FOI ELE APERFEIÇOADO. Tia. 2:21,22,24. Vede então, que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé. Mas que obras são estas que justificam o homem? Ora são as obras segundo a fé. Em Romanos Paulo fala primeiramente da Justiça de Deus. Que se nós formos injustos, por ventura Deus estará sendo injusto trazendo a ira sobre nós? Rom. 3 vs. 5. Todos os homens estão debaixo do pecado e que nenhuma carne será justificada diante de Deus pelas obras da lei. Dando Deus a sua lei ao homem, veio com a lei o conhecimento do pecado. A partir disto, ninguém está livre do pecado. Como está escrito” TODOS PECARAM E DESTITUÍDOS ESTÃO DA GLÓRIA DE DEUS”. Mas agora a fé em Jesus se manifestou no homem, e fez com que todo homem que crer em Jesus seja justificado por ela. De que maneira? Paulo na prisão de Filipo, quando estava preso, e que o anjo do Senhor apareceu e abriu todas as portas da prisão, depois de Ter impedido que o carcereiro se suicidasse, falou-lhe quando foi perguntado. Atos 16:31. CRÊ NO SENHOR JESUS CRISTO E SERÁS SALVO, TU E TUA CASA”. É necessário portanto que aquele que crê em Jesus Cristo pela fé demonstre esta fé através de suas obras. Que obras são essas? As obras de santificação. I Pedro 2: 15. MAS COMO É SANTO AQUELE QUE VOS CHAMOU, SEDE VÓS TAMBÉM SANTOS EM TODAA A VOSSA MANEIRA DE VIVER. PORQUANTO ESTÁ ESCRITO SEDES SANTOS, PORQUE EU SOU SANTO. E SE INVOCAIS POR PAI AQUELE QUE SEM ACEPÇÃO DE PESSOAS, JULGA SEGUNDO A OBRA DE CADA UM, ANDAI EM TEMOR DURANTE O TEMPO DE VOSSA PEREGRINAÇÃO. Aqui está claro, que somos salvos pela fé em Jesus Cristo e segundo a obra de cada um também somos julgados. Portanto se, praticarmos as obras da fé seremos salvos. Pois bem! Qual é a nossa fé? Em quem nós cremos? Em Jesus Cristo, temos a certeza de que Ele ressuscitou dos mortos e também subiu aos céus e está assentado à destra do Pai. Cremos pela fé que esse Jesus fez uma promessa a todos quantos cressem em seu nome. TODO QUE CRER E FOR BATIZADO SERÁ SALVO. Convém pois agora que cada um de nós produzamos as boas obras, para que sejamos justificados pela fé. Se formos radicais, encontraremos uma contradição entre Paulo e Tiago, em que Paulo diz que as obras não salvam, mas ele disse das obras da lei que os judeus seguiam. Pela graça sois salvos por meio da fé, e isto não vem de vós, é Dom de Deus. Não vem das obras para que ninguém se glorie. EF. 2:8,9. Estas obras que Paulo aborda nestes versículos referem-se às obras praticadas antes de crermos no filho de Deus. Pois andávamos segundo o propósito de nosso próprio coração. Poderíamos Ter feitos muitas boas obras, mas elas não nos dão o direito de salvação se não crermos verdadeiramente em Jesus Cristo. Agora após crermos no Senhor pela fé, então seremos salvos e isto se praticarmos as obras pela fé. Efe. 2:10. PORQUE SOMOS FEITURA SUA, CRIADOS EM CRISTO JESUS PARA AS BOAS OBRAS. AS QUAIS DEUS PREPAROU PARA QUE ANDASSEMOS NELAS. Então primeiramente somos salvos por Jesus Cristo, pois pelo seu sangue os nossos pecados são perdoados. Pois a graça de Cristo nos alcançou libertando-nos de um jugo pesado que não poderíamos carregar. Antes esperávamos que nossas obras nos salvassem, porém não as executávamos pela fé. Mas quando cremos verdadeiramente no Filho de Deus, a sua graça superabundou em nossos corações pela fé. Cremos em Jesus e pela sua graça fomos salvos. Dando assim o primeiro passo, isto é o batismo nas águas, confirmando a nossa boa obra juntamente com a fé. Daí por diante tudo o que fazemos ou fizermos diante de Deus é pela fé. Como paulo escreveu em romanos 14:23.TUDO O QUE NÃO É DE FÉ É PECADO. Por isso mostramos a nossa fé pelas nossas obras, ou nossas obras pela nossa fé. Assim sendo seguiremos firmes na graça de Cristo e pelo seu Espírito permaneceremos no temor de Deus, fazendo as obras de um verdadeiro cristão. Andando em santidade e cumprindo fielmente o mandamento do Senhor. AMARÁS O SENHOR TEU DEUS DE TODO O TEU CORAÇÃO E DE TODO O TEU ENTENDIMENTO E AO TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO. AMÉM PAULO Sobrinho Janeiro/2004

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Os cristãos devem guardar o Sabbath (sábado)?

Os cristãos devem guardar o Sabbath (sábado)? -------------------------------------------------------------------------------- Pergunta: "Os cristãos devem guardar o Sabbath (sábado)?" Resposta: Freqüentemente se diz que “Deus instituiu o Sabbath no Éden” por causa de sua conexão com a criação em Êxodo 20:11. Apesar do descanso de Deus no sétimo dia (Gênesis 2:3) ter sugerido uma futura lei do Sabbath, não há registro bíblico do Sabbath antes dos filhos de Israel terem deixado a terra do Egito. Em nenhum lugar das Escrituras há qualquer indício de que guardar o Sabbath tenha sido praticado de Adão a Moisés. A Palavra de Deus deixa muito claro que guardar o Sabbath era um sinal especial entre Deus e Israel: “E subiu Moisés a Deus, e o Senhor o chamou do monte, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel: Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim; Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha” (Êxodo 19:3-5). “Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua. Entre mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, e restaurou-se” (Êxodo 31:16-17). Em Deuteronômio 5, Moisés reafirma os dez mandamentos à próxima geração de israelitas. Aqui, após ordenar que se guardasse o Sabbath nos versos 12-14, Moisés dá a razão por que o Sabbath foi dado à nação de Israel: “Porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o Senhor teu Deus te tirou dali com mão forte e braço estendido; por isso o Senhor teu Deus te ordenou que guardasses o dia de sábado” (Deuteronômio 5:15). Repare na expressão “por isso”. A intenção de Deus em dar o Sabbath a Israel não foi que se lembrassem da criação, mas que se lembrassem de sua escravidão egípcia e o livramento do Senhor. Observe os requisitos para se guardar o Sabbath: A pessoa sob a lei do Sabbath não poderia deixar sua casa no Sabbath (Êxodo 16:29), não poderia acender fogo (Êxodo 35:3) e não poderia fazer ninguém trabalhar (Deuteronômio 5:14). A pessoa que quebrasse a lei do Sabbath seria colocada à morte (Êxodo 31:15; Números 15:32-35). Um exame das passagens do Novo Testamento nos mostra quatro pontos importantes: 1) Sempre que Cristo aparece em Sua forma ressuscitada (e o dia é mencionado), sempre é o primeiro dia da semana (Mateus 28:1, 9, 10; Marcos 16:9; Lucas 24:1, 13, 15; João 20:19, 26). 2) A única vez em que é mencionado o Sabbath, desde Atos até Apocalipse, isto é feito para fins evangelísticos aos judeus e sempre no contexto da sinagoga (Atos capítulos 13-18). Paulo escreveu: “E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei” (I Coríntios 9:20). Paulo não foi à sinagoga para ter comunhão com os santos ou edificá-los, mas para convencer os perdidos e salvá-los. 3) Desde o momento em que Paulo afirma “e desde agora parto para os gentios” (Atos 18:6), o Sabbath não mais é mencionado. 4) Ao invés de sugerir que se observe o Sabbath, o restante do Novo Testamento sugere o oposto (incluindo a única exceção, no ponto 3 acima, encontrada em Colossenses 2:16). Olhando mais de perto o ponto 4 acima, este revela que não há obrigação para o crente do Novo Testamento de guardar o Sabbath, e mostra também que a idéia de um domingo (“Sabbath cristão”) também não se encontra nas Escrituras. Como discutido acima, apenas uma vez o Sabbath é mencionado depois que Paulo objetiva os Gentios: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo” (Colossenses 2:16-17). O Sábado Judeu (Sabbath) foi abolido na cruz onde Cristo riscou “o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz” (Colossenses 2:14). Esta idéia é repetida mais de uma vez no Novo Testamento: “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz” (Romanos 14:5-6a). “Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos” (Gálatas 4:9-10). Alguns afirmam, entretanto, que um mandato de Constantino em 321 d.C. “mudou” o Sabbath de sábado para domingo. Em que dia a igreja primitiva se reunia para adoração? As Escrituras nunca mencionam o Sabbath (sábado) como dia de reuniões pelos crentes para comunhão ou adoração. Entretanto, há passagens claras que mencionam o primeiro dia da semana. Por exemplo, Atos 20:7 afirma: “E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão.” Em I Coríntios 16:2 Paulo exorta aos crentes coríntios: “No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade.” Uma vez que Paulo designa esta oferta como “serviço” em II Coríntios 9:12, esta coleta deve ter sido ligada com a adoração do culto de domingo da assembléia cristã. Historicamente, domingo, não sábado, era o dia normal de encontros dos cristãos na igreja, e sua prática vem desde o primeiro século. O Sabbath foi estabelecido para Israel, não para a igreja. O Sabbath ainda é sábado, não domingo, e nunca foi mudado. Mas o Sabbath é parte da Lei do Velho Testamento, e os cristãos são livres da servidão da Lei (Gálatas 4:1-26; Romanos 6:14). Guardar o Sabbath não é algo cobrado dos cristãos, seja um sábado ou domingo. O primeiro dia da semana, domingo, o Dia do Senhor (Apocalipse 1:10) celebra a Nova Criação, com Cristo como nossa Cabeça ressuscitada. Não somos obrigados a seguir o Sabbath de Moisés - descansando, mas somos agora livres para seguir o Cristo ressuscitado –servindo. O Apóstolo Paulo disse que cada cristão deveria decidir se observa ou não o descanso do Sabbath: “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente convicto em sua própria mente” (Romanos 14:5). Devemos adorar a Deus todos os dias, não somente no sábado ou domingo. (ARTIGO PUBLICADO NO SITE: GOTQUESTIONS.ORG)

Conhecendo a História da Biblia

Conhecer as origens das biblias hoje existentes nos dá um entendimento firme de que as escrituras não foram feitas por acaso. Na verdade e...