Pular para o conteúdo principal

ESTÊVÃO - EXEMPLO DE FÉ E CORAGEM

ESTÊVÃO O PRIMEIRO MARTIR Este é o título que encontramos como cabeçalho no Capítulo 6 de Atos dos apóstolos, a partir do versículo 8. É Estêvão considerado o primeiro mártir, devido a ter sido ele o primeiro servo de Deus a morrer pela Palavra de Deus logo após a morte do Senhor Jesus. Após Estêvão, seguiram outros, como o próprio Tiago. Mas se olharmos pela história Estêvão não foi o primeiro mártir morto por causa da Palavra de Deus. Podemos citar João Batista, que foi morto ainda enquanto Jesus vivia e cumpria o seu ministério. Morreu por causa da Palavra de Deus. Alguém poderá dizar que João foi morto devido ao ódio e injustiça de Herodes e Herodias. Mas não foi. João Batista foi morto porque pregava a Palavra de Deus, pregava a verdade, e isto incomodou tanto Herodes como Herodias, pois não andavam segundo a Palavra de Deus. Mas o que temos que considerar aqui é sobre a vida e morte de Estêvão. Um homem que aparece tão inesperadamente descrito no livro de Atos. Em poucos capítulos é contada a sua morte. Ao lermos o livro de Atos nos parece que este homem, teve muito pouco serviço na obra de Deus. Mas será um grande engano ao considerarmos isto. Cap.6- 1Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. 2E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. 3Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. 4Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. 5E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia; 6e os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos. 7E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé. Antes da morte de Estevão temos detalhado em Atos a perseguição que foi imposta contra os apóstolos, como por exemplo a prisão de Pedro e João. A morte de Estevão, foi causada pela perseguição dos principais dos sacerdotes judeus. Assim como perseguiram o Mestre. Esta perseguição foi causada pela pregação da verdade que Estêvão pregava. Os principais dos sacerdotes, e muitos judeus, sentiam a dor da verdade entrarem em seus ouvidos, pois estavam todos em pecado. Exigiam que o povo cumprisse a Lei, mas eles mesmos não cumpriam. E o que estava mesmo em jogo era a sua posição eclesiástica, pois viam que a cada dia aumentava o números de convertidos à Fé em Jesus. Sentiram-se ameaçados, viam que sua autoridade estava sendo posta a prova, e que percebendo que os que obedeciam ao evangelho de Cristo não mais davam crédito as suas ordenanças, perceberam que um povo separado estava se formando e crescendo rapidamente. Procuraram então calar a voz da verdade. E fizeram isto da forma mais diabólica e mesquinha que eles sabiam fazer. Assim como já estavam acostumados a fazer. Usando a mentira. Falsas acusações contra Estêvão, incitaram ao povo a apedrejarem aquele homem que para todos eles tinha cometido vários delitos. Atos 6: 8E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos Libertos, e dos cireneus, e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Ásia, e disputavam com Estêvão. 10E não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que falava. 11Então, subornaram uns homens para que dissessem: Ouvimos-lhe proferir palavras blasfemas contra Moisés e contra Deus. 12E excitaram o povo, os anciãos e os escribas; e, investindo com ele, o arrebataram e o levaram ao conselho. 13Apresentaram falsas testemunhas, que diziam: Este homem não cessa de proferir palavras blasfemas contra este santo lugar e a lei; 14porque nós lhe ouvimos dizer que esse Jesus Nazareno há de destruir este lugar e mudar os costumes que Moisés nos deu. 15Então, todos os que estavam assentados no conselho, fixando os olhos nele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo. E contra estas acusações, Estêvão abriu a sua boca, mas não para se justificar, mas pela última vez poder falar a VERDADE. Estêvão mostra que o templo não era a verdadeira habitação de Deus,(Cap 7:44..50) Estêvão condenou a atitude dos seus acusadores e seus ouvinte. Dizendo que tal como os seus antepassados fizeram com os profetas assim eles estavam fazendo agora, rejeitando a verdade da Palavra de Deus. Exemplo de coragem Quando o trabalho de Estêvão ficou conhecido, algumas pessoas se levantaram contra esse servo (leia Atos 6:8-14). Discutiam com ele, mas não conseguiam resistir seu ensinamento. Estêvão pregava a verdade, mas esses homens não tinham a humildade bastante para admitir seus próprios erros. Ao invés de aceitar e apoiar o trabalho desse servo, os homens usaram táticas desonestas para o opor. Subornaram falsas testemunhas para provocar uma reação popular contra Estêvão. Estêvão não desistiu quando enfrentou esses desafios e as táticas carnais de homens. Ele continuou pregando a mesma mensagem, independente do custo pessoal. Os homens podiam prender e até matar o servo, mas jamais venceriam o Senhor dele. Do exemplo dele, compreendemos melhor a importância de sermos corajosos em manter convicções baseadas na palavra de Deus. Não devemos defender nossas próprias opiniões ou preferências, mas nunca devemos abandonar a verdade para agradar a homens (Romanos 14:19; Gálatas 1:10-12).Qualquer pessoa que se mostra fiel no reino de Deus sofrerá perseguição (2 Timóteo 3:12). Não devemos nos estranhar quando homens carnais criticam ou procuram destruir o nosso trabalho. Mas devemos nos ater somente em pregar a Palavra da verdade. É essa palavra que nos julgará (João 12:47-50).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONSEQUÊNCIAS DO PECADO NA VIDA DO HOMEM DE DEUS

CONSEQUENCIA DO PECADO!?

O PECADO TRÁZ CONSEQUENCIAS INIMAGINÁVEIS, MESMO QUE O PECADOR VENHA A ARREPENDER-SE.
TODO ERRO TERÁ A SUA PENA, O SEU PREÇO, MESMO QUE HAJA ARREPENDIMENTO.

TOMEI COMO EXEMPLO BIBLICO, PARA EXPOR ESTA ANÁLISE BIBLICA A VIDA DE DAVI.
UM MENINO QUE DURANTE SUA JUVENTUDE DEDICOU-SE EM SIMPLICIDADE DE VIDA A LOUVAR AO SENHOR DEUS DE ISRAEL COM A SUA HARPA.
MAS QUE JÁ EM FASE ADULTA, COMO REI DE ISRAEL COMEÇOU A DESENCADEAR ALGUNS ERROS, OU, DIGA-SE DE PASSAGEM, PECADOS QUE AOS OLHOS DO HOMEM PARECIAM NÃO TER GRANDE IMPORTÂNCIA, MAS COMO VEREMOS TIVERAM GRANDE INFLUÊNCIA NÃO SOMENTE NO MEIO FAMILIAR, MAS TAMBÉM NO REINADO DE DAVI..
MESMO QUE, DEUS DISSE, SER DAVI O HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS.
MAS ISTO TUDO ACONTECE PARA QUE HOMEM ALGUM POSSA SE SENTIR IMUNE AO PECADO, SENDO UM SERVO DO SENHOR. TODO HOMEM PECA, MAS O ARREPENDIMENTO SINCERO TRÁZ NOVAMENTE A CONVIVÊNCIA E A COMUNHÃO COM DEUS. PORÉM DEVEMOS SABER QUE QUALQUER PECADO COMETIDO, MESMO HAVENDO ARREPEN…

Sobre o uso do véu

Quando Paulo apóstolo escreveu a carta aos Corintios, não lhes escreveu por mero capricho, mas para dar-lhes ensinamentos com os quais todos podiam achegar-se mais próximo do Senhor. No cap. 11 - ICoríntios, podemos ler no primeiro versículo. -SEDE MEUS IMITADORES, COMO TAMBÉM EU DE CRISTO. Se Paulo queria que o povo o imitassem, é claro que ele mesmo cumpria exatamente aquilo que ensinava. E o povo com toda certeza aceitava de bom grado os seus ensinamentos como podemos comprovar logo em seguida no versículo 2. -E LOUVO-VOS IRMÃOS, PORQUE EM TUDO VOS LEMBRAIS DE MIM, E RETENDES OS PRECEITOS COMO VO-LOS ENTREGUEI. Vamos analisar aqui esta frase que Paulo escreveu aos Coríntios. Paulo louvava aos seus irmãos de Corinto, pois eles lembravam de Paulo em tudo. Quando se diz tudo isto significa que nada fica de fora. E os corintios retinham os preceitos. Traduzindo estas palavras em seus sinônimos temos: RETER: verbo- ter ou manter firme, segurar com firmeza- Guardar em seu poder( o que…

Lucia Menna

Em 1907, esta irmã estava juntamente com luiggi Francescon, e um grupo de irmãos italianos, na missão da rua Azuza, onde recebeu o batismo do Espírito Santo, juntamente com outras irmãs daquele grupo, sendo elas, Rosina Balzano, e Dora Di Cicco. Lucia Menna, acompanhou os irmãos Luis Francescon e G. Lombardi, na viagem para a Argentina. Sua parentela, pertencente a familia MICHELANGELO MENNA, obedeceu a palavra do Senhor, ao todo 6 almas, no lugar denominado San Cagetano, em 28/11/1909. Atravéz desta familia, surgiu uma grande igreja naquele lugar, até hoje existente, com o nome que iniciou desde o princípio- ASSAMBLÉA CRISTIANA, apesar que o histórico da Atual Assemblea Cristiana, data de novembro de 1916, tempo em que foi legalmente fundada. Uma semente plantada em 1909, que prosperou e cresceu rapidamente.