terça-feira, 9 de junho de 2009

ESTÊVÃO - EXEMPLO DE FÉ E CORAGEM

ESTÊVÃO O PRIMEIRO MARTIR Este é o título que encontramos como cabeçalho no Capítulo 6 de Atos dos apóstolos, a partir do versículo 8. É Estêvão considerado o primeiro mártir, devido a ter sido ele o primeiro servo de Deus a morrer pela Palavra de Deus logo após a morte do Senhor Jesus. Após Estêvão, seguiram outros, como o próprio Tiago. Mas se olharmos pela história Estêvão não foi o primeiro mártir morto por causa da Palavra de Deus. Podemos citar João Batista, que foi morto ainda enquanto Jesus vivia e cumpria o seu ministério. Morreu por causa da Palavra de Deus. Alguém poderá dizar que João foi morto devido ao ódio e injustiça de Herodes e Herodias. Mas não foi. João Batista foi morto porque pregava a Palavra de Deus, pregava a verdade, e isto incomodou tanto Herodes como Herodias, pois não andavam segundo a Palavra de Deus. Mas o que temos que considerar aqui é sobre a vida e morte de Estêvão. Um homem que aparece tão inesperadamente descrito no livro de Atos. Em poucos capítulos é contada a sua morte. Ao lermos o livro de Atos nos parece que este homem, teve muito pouco serviço na obra de Deus. Mas será um grande engano ao considerarmos isto. Cap.6- 1Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. 2E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. 3Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. 4Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. 5E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia; 6e os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos. 7E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé. Antes da morte de Estevão temos detalhado em Atos a perseguição que foi imposta contra os apóstolos, como por exemplo a prisão de Pedro e João. A morte de Estevão, foi causada pela perseguição dos principais dos sacerdotes judeus. Assim como perseguiram o Mestre. Esta perseguição foi causada pela pregação da verdade que Estêvão pregava. Os principais dos sacerdotes, e muitos judeus, sentiam a dor da verdade entrarem em seus ouvidos, pois estavam todos em pecado. Exigiam que o povo cumprisse a Lei, mas eles mesmos não cumpriam. E o que estava mesmo em jogo era a sua posição eclesiástica, pois viam que a cada dia aumentava o números de convertidos à Fé em Jesus. Sentiram-se ameaçados, viam que sua autoridade estava sendo posta a prova, e que percebendo que os que obedeciam ao evangelho de Cristo não mais davam crédito as suas ordenanças, perceberam que um povo separado estava se formando e crescendo rapidamente. Procuraram então calar a voz da verdade. E fizeram isto da forma mais diabólica e mesquinha que eles sabiam fazer. Assim como já estavam acostumados a fazer. Usando a mentira. Falsas acusações contra Estêvão, incitaram ao povo a apedrejarem aquele homem que para todos eles tinha cometido vários delitos. Atos 6: 8E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos Libertos, e dos cireneus, e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Ásia, e disputavam com Estêvão. 10E não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que falava. 11Então, subornaram uns homens para que dissessem: Ouvimos-lhe proferir palavras blasfemas contra Moisés e contra Deus. 12E excitaram o povo, os anciãos e os escribas; e, investindo com ele, o arrebataram e o levaram ao conselho. 13Apresentaram falsas testemunhas, que diziam: Este homem não cessa de proferir palavras blasfemas contra este santo lugar e a lei; 14porque nós lhe ouvimos dizer que esse Jesus Nazareno há de destruir este lugar e mudar os costumes que Moisés nos deu. 15Então, todos os que estavam assentados no conselho, fixando os olhos nele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo. E contra estas acusações, Estêvão abriu a sua boca, mas não para se justificar, mas pela última vez poder falar a VERDADE. Estêvão mostra que o templo não era a verdadeira habitação de Deus,(Cap 7:44..50) Estêvão condenou a atitude dos seus acusadores e seus ouvinte. Dizendo que tal como os seus antepassados fizeram com os profetas assim eles estavam fazendo agora, rejeitando a verdade da Palavra de Deus. Exemplo de coragem Quando o trabalho de Estêvão ficou conhecido, algumas pessoas se levantaram contra esse servo (leia Atos 6:8-14). Discutiam com ele, mas não conseguiam resistir seu ensinamento. Estêvão pregava a verdade, mas esses homens não tinham a humildade bastante para admitir seus próprios erros. Ao invés de aceitar e apoiar o trabalho desse servo, os homens usaram táticas desonestas para o opor. Subornaram falsas testemunhas para provocar uma reação popular contra Estêvão. Estêvão não desistiu quando enfrentou esses desafios e as táticas carnais de homens. Ele continuou pregando a mesma mensagem, independente do custo pessoal. Os homens podiam prender e até matar o servo, mas jamais venceriam o Senhor dele. Do exemplo dele, compreendemos melhor a importância de sermos corajosos em manter convicções baseadas na palavra de Deus. Não devemos defender nossas próprias opiniões ou preferências, mas nunca devemos abandonar a verdade para agradar a homens (Romanos 14:19; Gálatas 1:10-12).Qualquer pessoa que se mostra fiel no reino de Deus sofrerá perseguição (2 Timóteo 3:12). Não devemos nos estranhar quando homens carnais criticam ou procuram destruir o nosso trabalho. Mas devemos nos ater somente em pregar a Palavra da verdade. É essa palavra que nos julgará (João 12:47-50).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários de anônimos não são aceitos somente identificados