terça-feira, 24 de agosto de 2010

ESTA É A ÚLTIMA CHAMADA!?

"E agora mais uma vez no final desta era, Deus faz a



última chamada; a chamada da meia-noite está sobre nós,


ressoando claramente em nossos ouvidos. Deus dará mais


uma oportunidade, a última chamada, um Avivamento


mundial. Depois virá o julgamento de todo o mundo. Um


acontecimento tremendo está para acontecer!"
 
É indispensável que o corpo seja preparado através


do arrependimento e da humildade para que haja o

derramamento do Espírito Santo. As pregações da

Reforma foram começadas por Martinho Lutero num prédio

em decadência no meio da praça pública em Wittenburg.

D'Aubigné o descreve desta maneira: "No meio da praça de

Wittenburg estava uma velha capela de madeira, com dez

metros de comprimento e seis metros e meio de largura,

cujas paredes estaqueadas de todos os lados estavam prestes

a cair. Um velho púlpito feito de tábuas de um metro de

altura recebia o pregador. Foi neste lugar desprezível que a

pregação da Reforma começou. Foi da vontade de Deus que o

movimento que restauraria Sua glória começasse num

ambiente o mais humilde possível. Foi aí neste lugar

desditoso que Deus ordenou, de forma figurada, que Seu

Filho amado nascesse pela segunda vez... Entre as milhares

de catedrais e paróquias que enchiam a terra, não houve

uma sequer naquela época que Deus escolhesse para a

pregação gloriosa a respeito da vida eterna." No Avivamento

em Gales, os grandes pregadores da Inglaterra tiveram de

vir e sentar-se aos pés de mineiros trabalhadores e rudes

para ver as obras maravilhosas de Deus.  "A coisa genuína está

aparecendo entre nós; o Altíssimo mais uma vez lutará

contra os mágicos de Faraó. Porém, muitos o rejeitarão

e blasfemarão. Muitos não o reconhecerão, mesmo entre

aqueles que se consideram seus seguidores. Temos orado e

crido num Avivamento genuíno. Será que o reconheceremos quando

chegar?"
 
Cada movimento do Espírito de Deus também tem de


passar pelas poderosas investidas das forças de Satanás. "O

dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à

luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse" (Apocalipse

12:4). Foi assim também com o princípio desta obra

Pentecostal. O inimigo fez muitas falsificações, mas Deus

manteve a criancinha bem escondida dos Herodes por uma

estação, até que pôde adquirir força e discernimento para

resistir-lhes. A chama foi preservada com ciúmes pela mão do

Senhor dos ventos das críticas, dos ciúmes, da

incredulidade, etc. Passou por mais ou menos as mesma

experiências de todos os Avivamentos. Havia inimigos dentro

e fora da obra. Tanto Lutero, quanto Wesley, tiveram as

mesmas dificuldades nos seus tempos. Temos este tesouro

em "vasos de barro". Todo nascimento normal é cercado de

circunstâncias não totalmente agradáveis. O trabalho

perfeito de Deus é realizado dentro da imperfeição humana.

Somos criaturas da "queda".

Por que esperar uma manifestação perfeita neste caso?

Estamos voltando para Deus.

John Wesley descreve assim o Avivamento em sua

época: "Assim que parti, dois ou três começaram a crer que o

que imaginavam eram impressões vindas de Deus.

Enquanto isso uma enxurrada de críticas vinha de todas

as partes. Não se admire que Satanás semeou o joio no meio

do trigo de Cristo. Foi sempre assim, principalmente

quando houve um grande derramamento do Espírito, e

sempre será assim até o diabo ser preso por mil anos. Até

então, ele tentará imitar e se opor ao trabalho do Espírito

de Cristo."
 
"Senhor, manda-nos o antigo Avivamento sem seus



defeitos; mas se não for possível, manda-o de volta com


todos os seus defeitos. Precisamos de um Avivamento!"
 
 
Todas as forças do inferno estaão combinadas contra


nós desde o princípio. Nem tudo é benção. Na realidade, a luta

será tremenda. Satanás procurava espíritos imperfeitos,

como sempre, para destruir a obra, se possível. Mas o

fogo não pode ser apagado. Irmãos fortes hão de  se

reunirem com a ajuda do Senhor. Aos poucos levantar-se-á

uma onda de vitória. Mas tudo isto vem de um pequeno

começo, uma pequenina chama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários de anônimos não são aceitos somente identificados