Pular para o conteúdo principal

PROFECIAS POR DANIEL PARTE I

PROFECIAS POR DANIEL Breve relato Estando Cativo na Babilônia, Daniel teve as revelações proféticas de acontecimentos em um longo período. Desde o Cativeiro de Israel na Babilônia até a volta de Cristo e o Juízo final. No ano 3° do reinado de Jeoiaquim,(Jeconias) veio Nabucodonosor à Jerusalém e a sitiou. Isto ocorreu em 597 AC. (início do Cativeiro) Jeoiaquim é levado para Babilônia. Em seu lugar em Jerusalém ficou um vassalo da Babilônia chamado Zedequias. Até o ano de 595 AC o profeta usado por Deus era Ezequiel, anteriormente o ministério de profeta foi exercido por Jeremias, desde 626 AC até 586 AC. Ezequiel exerceu seu ministério desde 574 AC. Já no ano de 587 quando Jerusalém foi cercada e totalmente destruída pelos caldeus. O profeta era Obadias. Foi quando a monarqui dos Judeus teve o seu fim. Então iniciou-se a supremacia Babilônica como um grande Império, que dominava o mundo de então. Daqui por diante a cronologia do povo hebraico incorpora-se na cronologia dos impérios, sob os quais de tempos a tempos os judeus estiveram sujeitos. Babilônia predominou até que Ciro (538 – 537) AC, tomou a sua capital. Seguiu-se então a supremacia do Império Persa até as vitórias de Alexandre Magno. Depois da morte deste, de sua viúva Roxana e de seu jovem filho, houve a repartição dos reinos dos Selêucidas e o Egito dos Ptolomeus. A Judéia ficando entre os dois, tornou-se o prêmio disputado por ambos. Primeiramente ficou no poder do Egito, depois no da Síria quando esta estava em sua ascendência. A resistência muito bem sucedida pelos Macabeus contra Antioco Epifânio estabeleceu a quase-independência da Judéia sob a linha sacerdotal asmoneana e a essa seguiu-se por sua vez, o domínio de Roma sob a qual os asmoneanos posteriores e os da família de Herodes reinaram sucessivamente em Jerusalém. No cap 4 do livro de Daniel, temos o conhecimento de que Daniel interpretou o sonho que Nabucodonosor teve e ficou muito perturbado. Os babilônios adoravam muitas divindades como deuses, tinham muitas crenças, criam em adivinhações, interpretações de sonhos, adivinhações através dos astros. Temiam criaturas demoníacas, e eram um tanto supersticiosos, praticavam magia (feitiçaria), acreditavam em gênios do bem e do mal. O rei era a peça principal que não poderia faltar em nenhuma festa religiosa. Era como uma divindade. Também acreditavam em poderes sobrenaturais existentes em metais, pedras, e tantas outras crendices. Esta pequena explanação sobre os credos religiosos dos babilônios serve para compreendermos as atitudes do rei Nabucodonosor em relação a Daniel e os seus amigos por ocasiões distintas. No segundo ano do reinado de Nabucodonosor, Daniel foi posto por governador na terra de Babilônia, precisamente na província de Susan. Temos que analisar desde o primeiro sonho que Nabucodonosor teve. Foi preciso Deus movimentar a vida de um imperador, perturbar o seu sono para poder levantar um profeta. E esta providência de Deus não foi apenas por causa de Daniel e de seus amigos. Foi para que o povo judeu, cativo na Babilônia pudesse ter uma vida menos difícil. Apesar de que Deus enviou o seu povo cativo para pagar por seus pecados, para que sofressem pela sua transgressão aos mandamentos de Deus. Mas Deus é um pai misericordioso, que mesmo na sua ira, demonstra seu grande amor pelo seu povo. Deus conhecia o egoísmo que possuía Nabucodonosor. Sabia que o mesmo e outros príncipes babilônios eram uma ameaça ao povo judeu. Mesmo no cativeiro Deus não desamparou nem desampararia seu povo. Só havia um único povo que acreditava no Deus Único e verdadeiro. E Deus não faria este povo desaparecer da face da terra pela mão de seus inimigos. Deus que tirou o seu povo do Egito, não deixaria novamente o seu povo viver tal escravidão. Assim o povo judeu não viveu como escravo, mas como tributário do rei Nabucodonosor e dos que lhe sucederam. O povo de Deus, em Babilônia, sentiram saudade de sua terra natal, choraram e lamentaram estarem vivendo em cativeiro. Mesmo que não escravizados como no antigo Egito, mas não tinham a liberdade como tinham na sua própria terra. A terra que Deus lhes havia dado por herança. O sonho do rei. O primeiro sonho Nabucodonosor teve, lhe perturbou a mente, perdeu o sono. O mais importante é que Nabucodonosor não lembrava o que havia sonhado. Mesmo que se esforçasse não pode lembrar. E como tinha muitos magos, adivinhadores e interpretadores de sonhos, segundo as suas crenças, Nabucodonosor mandou chamar a todos. Crendo que algum deles lhe daria a conhecer e fazer lembrar o sonho que tivera. É irônico imaginar que alguém possa entrar na mente de alguém e saber o que sonhou durante a noite. Ora se nem mesmo o rei lembrava de seu sonho, ninguém na terra tinha tal poder de saber o sonho do rei e ainda dar sua interpretação. Os magos e os que se diziam sábios em todas as formas de adivinhações e interpretações foram pegos de surpresa. Deus confunde todos os homens que tiram proveito das crendices humanas inventadas por eles mesmos. Tal como está escrito. Deus pega o sábio na sua própria estultícia. Eles tentaram ganhar tempo, e procuravam dissuadir o rei de seu intento, até que Nabucodonosor, soberanamente decretou que todos os sábios de babilônia fossem mortos. Para Nabucodonosor, não interessava quantos e quais sábios estavam para morrer. Ele se achava dono da vida de todos os que se diziam sábios e os que realmente eram sábios. Colocou-se como um deus naquela hora. Sua palavra era um decreto e deveria ser cumprido. E isto foi o que se prontificou a fazer imediatamente o Arioque o capitão da guarda do rei. Daniel e seus companheiros estavam contados com o número de sábios existentes em Babilônia. Mas tudo isto era já uma obra arquitetada pelo Deus de Israel. Daniel, foi para sua casa e fez saber o caso a seus companheiros, Hananias, Misael e Azarias, para que todos pedissem misericórdia ao Deus de Israel. Para nós que conhecemos este Deus verdadeiro, não é surpresa. Pois Deus revelou a Daniel não apenas o sonho que teve o rei, mas também lhe deu a interpretação do mesmo. Era a hora que Deus programou para mostrar que no meio do povo da Babilônia habitava também um povo, pequeno, humilhado, cativo mas que servia o Deus verdadeiro, o Deus dos céus e da terra. O Deus que domina sobre todos os reinos do mundo. O Deus que levanta o homem e abate os poderosos. Assim fez Deus. Salvou a vida de Daniel e de seus companheiros, revelando o segredo do rei. Ainda foram beneficiados os demais sábios, magos e adivinhadores do reino. Pois assim Nabucodonosor não precisou matar a ninguém. Quando Deus toma suas providencias, não só faz livramento ao seu povo, como também a quem está no meio de seu povo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONSEQUÊNCIAS DO PECADO NA VIDA DO HOMEM DE DEUS

CONSEQUENCIA DO PECADO!?

O PECADO TRÁZ CONSEQUENCIAS INIMAGINÁVEIS, MESMO QUE O PECADOR VENHA A ARREPENDER-SE.
TODO ERRO TERÁ A SUA PENA, O SEU PREÇO, MESMO QUE HAJA ARREPENDIMENTO.

TOMEI COMO EXEMPLO BIBLICO, PARA EXPOR ESTA ANÁLISE BIBLICA A VIDA DE DAVI.
UM MENINO QUE DURANTE SUA JUVENTUDE DEDICOU-SE EM SIMPLICIDADE DE VIDA A LOUVAR AO SENHOR DEUS DE ISRAEL COM A SUA HARPA.
MAS QUE JÁ EM FASE ADULTA, COMO REI DE ISRAEL COMEÇOU A DESENCADEAR ALGUNS ERROS, OU, DIGA-SE DE PASSAGEM, PECADOS QUE AOS OLHOS DO HOMEM PARECIAM NÃO TER GRANDE IMPORTÂNCIA, MAS COMO VEREMOS TIVERAM GRANDE INFLUÊNCIA NÃO SOMENTE NO MEIO FAMILIAR, MAS TAMBÉM NO REINADO DE DAVI..
MESMO QUE, DEUS DISSE, SER DAVI O HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS.
MAS ISTO TUDO ACONTECE PARA QUE HOMEM ALGUM POSSA SE SENTIR IMUNE AO PECADO, SENDO UM SERVO DO SENHOR. TODO HOMEM PECA, MAS O ARREPENDIMENTO SINCERO TRÁZ NOVAMENTE A CONVIVÊNCIA E A COMUNHÃO COM DEUS. PORÉM DEVEMOS SABER QUE QUALQUER PECADO COMETIDO, MESMO HAVENDO ARREPEN…

Sobre o uso do véu

Quando Paulo apóstolo escreveu a carta aos Corintios, não lhes escreveu por mero capricho, mas para dar-lhes ensinamentos com os quais todos podiam achegar-se mais próximo do Senhor. No cap. 11 - ICoríntios, podemos ler no primeiro versículo. -SEDE MEUS IMITADORES, COMO TAMBÉM EU DE CRISTO. Se Paulo queria que o povo o imitassem, é claro que ele mesmo cumpria exatamente aquilo que ensinava. E o povo com toda certeza aceitava de bom grado os seus ensinamentos como podemos comprovar logo em seguida no versículo 2. -E LOUVO-VOS IRMÃOS, PORQUE EM TUDO VOS LEMBRAIS DE MIM, E RETENDES OS PRECEITOS COMO VO-LOS ENTREGUEI. Vamos analisar aqui esta frase que Paulo escreveu aos Coríntios. Paulo louvava aos seus irmãos de Corinto, pois eles lembravam de Paulo em tudo. Quando se diz tudo isto significa que nada fica de fora. E os corintios retinham os preceitos. Traduzindo estas palavras em seus sinônimos temos: RETER: verbo- ter ou manter firme, segurar com firmeza- Guardar em seu poder( o que…

Lucia Menna

Em 1907, esta irmã estava juntamente com luiggi Francescon, e um grupo de irmãos italianos, na missão da rua Azuza, onde recebeu o batismo do Espírito Santo, juntamente com outras irmãs daquele grupo, sendo elas, Rosina Balzano, e Dora Di Cicco. Lucia Menna, acompanhou os irmãos Luis Francescon e G. Lombardi, na viagem para a Argentina. Sua parentela, pertencente a familia MICHELANGELO MENNA, obedeceu a palavra do Senhor, ao todo 6 almas, no lugar denominado San Cagetano, em 28/11/1909. Atravéz desta familia, surgiu uma grande igreja naquele lugar, até hoje existente, com o nome que iniciou desde o princípio- ASSAMBLÉA CRISTIANA, apesar que o histórico da Atual Assemblea Cristiana, data de novembro de 1916, tempo em que foi legalmente fundada. Uma semente plantada em 1909, que prosperou e cresceu rapidamente.