quarta-feira, 22 de outubro de 2008

PROFECIAS DE DANIEL - PARTE II

PARTE II Segundo sonho: Uma sentença Depois deste sonho Nabucodonosor teve outro sonho, também assustador, pois não podia interpreta-lo. Tal como no primeiro sonho, os sábios, adivinhos, magos e caldeus não puderam interpretar o sonho do rei. Até então que Daniel foi chamado, e novamente Deus lhe deu a interpretação do sonho do rei. – o rei viu no sonho uma grande e frondosa árvore no meio da terra de maneira que sua altura chegava até o céu e foi vista até os confins da terra. Sua folhagem formosa e o seu fruto abundante, e havia nela sustento para todos. Debaixo dela os animais do campo achavam sombra e as aves do céu faziam morada nos seus ramos e toda a carne se mantinha dela. Logo um anjo descia do céu e clamando fortemente disse. Derrubai a árvore e cortai-lhe os ramos, sacudi as suas folhas espalhai o seu fruto, e as aves dos seus ramos. Mas o tronco com suas raízes deixai na terra e com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo, e seja molhado do orvalho do céu e a sua porção seja com os animais na grama da terra. Seja mudado o seu coração para que não seja mais coração de homem, e seja-lhe dado coração de animal e passem sobre ele sete tempos.Esta sentença é decreto dos vigiadores e esta ordem por mandado dos santos, afim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre os reinos dos homens e os dá a quem quer e até ao mais baixo dos homens constitui sobre eles. Ao ouvir o sonho, Daniel imediatamente teve a sua interpretação, e começou dizendo ao rei, que aquilo que haveria de acontecer, que fosse para os inimigos do rei e aos que tem ódio. Mas Nada poderia mudar o desígnio de Deus. No princípio Daniel, fala que a grande árvore é o rei Nabucodonosor que cresceu e seu domínio chegou aos cantos da terra e era conhecido do céu. Logo Daniel nada escondeu, contou que o rei haveria de ser derrubado por Deus e de que haveria de comer erva como animais, e durante sete anos seria tirado o seu reino, mas ao fim dos sete anos voltaria a sua consciência, então Nabucodonosor haveria de glorificar o Deus Altíssimo. Daniel aconselhou o rei, a arrepender-se e desfazer o seu pecado, praticando a justiça e usando de misericórdia dos pobres. Pois bem esta profecia cumpriu-se um ano após Daniel ter sido feito governado de todas as províncias da Babilônia. Daniel era com certeza o segundo no reino da Babilônia. Nabucodonosor foi tomado de uma loucura. Um ano mais tarde Nabucodonosor engrandeceu-se, tomou para si a glória e não glorificou ao altíssimo. Veio naquele instante uma voz do céu: Ò rei Nabucodonosor, passou de ti o reino, e serás tirado dentre os homens e a tua morada será com os animais do campo, far-te-ão comer erva como os bois, e teu corpo será molhado com orvalho do céu, passar-se-ão sobre ti sete tempos até que conheças que o altíssimo tem domínio sobre os reinos dos homens e os dá a quem quiser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários de anônimos não são aceitos somente identificados