terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

O explendor de um reino parte 4

Mas agora depois de diversas vitórias de Davi, contra os inimigos de Israel, que sempre oprimiam-nos, e de todas as formas procuravam que o povo hebreu tomasse posse total da terra de Canaã, os anciães, os principais chefes do povo decidiram então depositar nas mãos de Davi a sua segurança, e a sua prosperidade. Ora Davi por um período, fez com que Israel, mantivesse uma aparente calma, foi então que aproveitando-se disso Davi encontrou tempo para aumentar o seu território, como nos mostra II Samuel, 8, depois conquistar os filisteus, fazendo-os tributários, Davi lutou contra os moabitas, fazendo-os também tributário, porém um peculiaridade foi de que Davi tomou uma parte dos moabitas e como que lançando sorte dentre eles os matou dois terços deles, e deixou um terço vivo para serem tributários.Depois derrotou Hadade-Hezer, filho de Reobe, rei de Zobá, quando este ia para o Eufrates. Durante esta batalha, Davi tomou mil e seiscentos cavaleiros e vinte mil homens a pé. Davi porém tomou uma decisão, que não parece muito acertada, porém foi de improviso, pois os israelitas não sabiam usar os carros de guerra tal como os siros, mas para evitar certamente que os soldados de Hadade-Hezer, se recuperassem e fugissem com os cavalos, mandou cortar os jarretes dos cavalos, e tomou para si e seu exército apenas cem carros, que provavelmente não eram carros de guerra mas sim de transporte. Os siros de Damasco, vieram logo em socorros de hadade-Hezer, porém foram vencidos pelo exército de Davi, e nesta batalha morreram dos siros vinte e dois mil homens. Foram então colocadas guarnições em Damasco, e assim os siros também passaram a ser tributários do rei de Israel. Diz também a história que Davi tomou os escudos de ouro que os servos de Hadade–Hezer traziam, e os levou para Jerusalém, juntamente a uma grande quantidade de bronze das cidades de Beta e Berotai. Derrotou ainda dezoito mil no vale do sol então sua fama percorreu por muitas outras terras, Toí, rei de Emat, que fazia limite com a Síria, satisfeito com a derrota de seu inimigo Adade – Hezer, e provavelmente não desejando afrontar os exércitos de Davi enviou seu filho Jorão até Davi, levando presentes, vasos de prata, ouro e de bronze. Assim Davi acumulava rapidamente uma grande riqueza, e reconquistava o território que os egípcios haviam possuído na Palestina. Apenas alguns filisteus de tempos em tempos, se opunham aos israelitas através de escaramuças (guerrilhas), procurando talvez libertarem-se de sua servidão como tributários.
Depois disto, o rei amonita, havia morrido, e seu filho Hanum, reinou em seu lugar, então Davi por ter uma dívida de gratidão ao rei, já morto, enviou mensageiros seus para consolar Hanum, porém este instigado por conselheiros militares, rejeitou a comitiva enviada por Davi, e tomando os servos de Davi, os ultrajou, raspando-lhes a metade da barba, pois os tinha tomado por espias. Ainda Hanum, fizeram um contrato de mercenários Siros, e formou um exército de quatorze mil homens. Então Davi enviou Joabe com todo o exército, em batalha contra os amonitas e os siros mercenários. Joabe sabendo que teria que lutar praticamente com duas frentes de batalhas, dividiu o exército em dois, dando o comendo do segundo à Abisai seu irmão. Joabe então atacou os siros, os quais fugiram, então os amonitas vendo-se sozinhos também fugiram. Nisto Dadade- Hezer, sabendo da batalha, enviou outro exército que estavam do outro lado do rio, para ajudar os amonitas e os siros. Davi sabendo do acontecido ajuntou todo os homens de Israel, e passou o Jordão e chegando em Helã, formou-se a batalha. Porém os siros fugiram diante do exército de Davi também, e caíram dentre os siros setecentos homens de carros e quarenta mil cavaleiros, morrendo também ali o general do exército sírio, Sobaque. Assim os sírios ficaram temerosos do exército de Israel, e lhes propôs a paz, e não mais ajudaram os amonitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários de anônimos não são aceitos somente identificados