quarta-feira, 12 de maio de 2010

DEUS REINA!? parte VI

Agora Saul demonstrara o seu ódio e inveja por Davi, a ponto de ordenar seu filho Jônatas e seus servos matarem Davi.

1 E falou Saul a Jónatas, seu filho, e a todos os seus servos, para que matassem a Davi. Porém Jónatas, filho de Saul, estava mui afeiçoado a Davi.



2 E Jónatas o anunciou a Davi, dizendo: Meu pai, Saul, procura matar-te, pelo que agora guarda-te pela manhã, e fica-te em oculto, e esconde-te.


3 E sairei eu, e estarei à mão de meu pai no campo em que estiverdes, e eu falarei de ti a meu pai, e verei o que há, e to anunciarei.


4 Então Jónatas falou bem de Davi a Saul, seu pai, e disse-lhe: Não peque o rei contra seu servo Davi, porque ele não pecou contra ti, e porque os seus feitos te são muito bons.


5 Porque expós a sua vida, e feriu aos filisteus, e fez o SENHOR um grande livramento a todo o Israel; tu mesmo o viste, e te alegraste; porque, pois, pecarias contra o sangue inocente, matando a Davi, sem causa?


6 E Saul deu ouvidos à voz de Jónatas, e jurou Saul: Vive o SENHOR, que não morrerá.


7 E Jónatas chamou a Davi, e contou-lhe todas estas palavras; e Jónatas levou Davi a Saul, e esteve perante ele como antes.


8 E tornou a haver guerra; e saiu Davi, e pelejou contra os filisteus, e feriu-os com grande matança, e fugiram diante dele.


9 Porém o espírito mau da parte do SENHOR se tornou sobre Saul, estando ele assentado em sua casa, e tendo na mão a sua lança; e tocava Davi com a mão, a harpa.


10 E procurou Saul encravar a Davi na parede, porém ele se desviou de diante de Saul, o qual feriu com a lança a parede; então fugiu Davi, e escapou naquela mesma noite.


11 Porém Saul mandou mensageiros à casa de Davi, que o guardassem, e o matassem pela manhã; do que Mical, sua mulher, avisou a Davi, dizendo: Se não salvares a tua vida esta noite, amanhã te matarão.


12 Então Mical desceu a Davi por uma janela; e ele se foi, e fugiu, e escapou.


13 E Mical tomou uma estátua e a deitou na cama, e pós-lhe à cabeceira uma pele de cabra, e a cobriu com uma coberta.


14 E, mandando Saul mensageiros que trouxessem a Davi, ela disse: Está doente.


15 Então Saul tornou a mandar mensageiros que fossem a Davi, dizendo: Trazei-mo na cama, para que o mate.


16 Vindo, pois, os mensageiros, eis que a estátua estava na cama, e a pele de cabra à sua cabeceira.


17 Então disse Saul a Mical: Por que assim me enganaste, e deixaste ir e escapar o meu inimigo? E disse Mical a Saul: Porque ele me disse: Deixa-me ir, por que hei de eu matar-te?

Pode-se dizer que Saul declarara guerra contra Davi. Agora uma pergunta. O que Davi fêz para ser inimigo de Saul?
Davi tinha a proteção do Senhor. Foi para este episódio que o Senhor fez com que Saul  desse Milca para ser mulher de Davi. Pois Deus já sabia que tudo isto aconteceria. Então não foi Saul que deliberadamente prometera sua filha à Davi, mas foi mais um projeto de Deus na vida de Davi.
A perseguição agora aumentava, Davi precisou fugir, deixou para traz sua jmulher. Sabia que por ser filha do rei, não corria perigo. Davi não fugia apenas para salvar sua vida, mas para não ter que lutar contra Saul.
Ainda que Saul havia sido rejeitado pelo Senhor, Davi o respeitava e o honrava como ungido do Senhor.
Vemos em Davi um homem honrado. Davi não pretendia tomar o reino pela força, sabia e confiava nas palvras ditas pelo profeta Samuel, desde que fôra ungido por êle. éra só aguardar o tempo em que se cumpririam. Porém Davia teria que passar por muita perseguição por parte de Saul ainda. 
 
 Assim Davi fugiu e escapou, e foi a Samuel, em Ramá, e lhe participou tudo quanto Saul lhe fizera; e foram, ele e Samuel, e ficaram em Naiote.



19 E o anunciaram a Saul, dizendo: Eis que Davi está em Naiote, em Ramá.


20 Então enviou Saul mensageiros para trazerem a Davi, os quais viram uma congregação de profetas profetizando, onde estava Samuel que presidia sobre eles; e o Espírito de Deus veio sobre os mensageiros de Saul, e também eles profetizaram.


21 E, avisado disto Saul, enviou outros mensageiros, e também estes profetizaram; então enviou Saul ainda uns terceiros mensageiros, os quais também profetizaram.


22 Então foi também ele mesmo a Ramá, e chegou ao poço grande que estava em Secu; e, perguntando, disse: Onde estão Samuel e Davi? E disseram-lhe: Eis que estão em Naiote, em Ramá.


23 Então foi para Naiote, em Ramá; e o mesmo Espírito de Deus veio sobre ele, e ia profetizando, até chegar a Naiote, em Ramá.


24 E ele também despiu as suas vestes, e profetizou diante de Samuel, e esteve nu por terra todo aquele dia e toda aquela noite; por isso se diz: Está também Saul entre os profetas?

quarta-feira, 5 de maio de 2010

DEUS REINA!? parte V

I Samuel cap 18:
6 Sucedeu, porém, que, vindo eles, quando Davi voltava de ferir os filisteus, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e dançando, com adufes, com alegria, e com instrumentos de música.


7 E as mulheres dançando e cantando se respondiam umas às outras, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares.


8 Então Saul se indignou muito, e aquela palavra pareceu mal aos seus olhos, e disse: Dez milhares deram a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão só o reino?


9 E, desde aquele dia em diante, Saul tinha Davi em suspeita.


10 E aconteceu no outro dia, que o mau espírito da parte de Deus se apoderou de Saul, e profetizava no meio da casa; e Davi tocava a harpa com a sua mão, como nos outros dias; Saul, porém, tinha na mão uma lança.


11 E Saul atirou com a lança, dizendo: Encravarei a Davi na parede. Porém Davi se desviou dele por duas vezes.


12 E temia Saul a Davi, porque o SENHOR era com ele e se tinha retirado de Saul.


13 Por isso Saul o desviou de si, e o pós por capitão de mil; e saía e entrava diante do povo.


14 E Davi se conduzia com prudência em todos os seus caminhos, e o SENHOR era com ele.


15 Vendo então Saul que tão prudentemente se conduzia, tinha receio dele.


16 Porém todo o Israel e Judá amava a Davi, porquanto saía e entrava diante deles.


17 Por isso Saul disse a Davi: Eis que Merabe, minha filha mais velha, te darei por mulher; sê-me somente filho valoroso, e guerreia as guerras do SENHOR; porque Saul dizia consigo: Não seja contra ele a minha mão, mas sim a dos filisteus.
 
Saul começou a temer que Davi tomasse o seu trono. Por isso começou a sentir-se ameaçado. O Senhor era com Davi, em suas lutas, nomeio do exército, a ponto de que Israel amava Davi. Davi vivia entre o povo, conhecia as suas necessidades, sabia como se conduzir, mas não estava fazendo isto para tomar o trono de Saul. Davi sabia que o Senhor o escolhera para reinar em lugar de Saul, mas não tinha pressa, não pretendia fazer com que as coisas andassem rápidamente. Nada fazia por sua própria vontade, deixava que as coisas tomassem o curso natural, o curso que o Senhor Deus de Israel, determinara. Pois muitas vezes o homem quer apressar a obra de Deus, e acaba por retardar a conclusão de uma obra ou até mesmo impedir que esta obra se realize. A falta de paciencia faz com que uma obra em projeto, acabe por ficar apenas no projeto, sem ter o seu início e sem ter conclusão.
Mas quando deixamos Deus, trabalhar de acordo com o seu querer, com o tempo que Deus quer, devemos também aguardar tudo com paciencia. ~De nada serve querermos colocar um telhado numa construção que ainda nem mesmo foram erguidas as paredes. O tempo não importa, mas sim sabermos que uma obra projetada por Deus, terá o seu cumprimento. 
 
Saul tomado pelo espírito mau, atira uma lança conta Davi. Vemos que sempre que Deus tem uma obra preparada na vida de alguém, o inimigo começa a tramar contra este alguém. A inveja já tomava conta de Saul, então ele elaborou um plano. Prometeu sua filha mais velha à Davi, se Davi lutasse por ele na guerra contra os filisteus. Claro está que Saul consigo mesmo imaginava, que, na guerra haveria muita chance de Davi cair morto, do que pela sua própria mão. Mais tarde Davi acaba por ter este mesmo pensamento, quando manda Urias para a frente de batalha. - Falaremos mais tarde deste episódio.
Passou-se o tempo e Davi lutou contra os filisteus, e Saul não lhe deu por mulher sua filha mais velha. Podemos dizer que ele enganou Davi, pois dera sua filha por mulher de outro, certamente enquanto Davi estava no campo de batalha, achava que a qualquer momento receberia a notícia de que Davi morrera. Imaginemos Saul fazendo um festa de casamento de sua filha prometida à Davi, enquanto que Davi estava na batalha.
Certamente a batalha havia terminada, talvez houve uma trégua entre os dois exércitos. Davi voltara para casa. Saul então antes de ser cobrado por Davi, logo lhe ofereceu Milca, sua filha mais nova. Estava Saul novamente tramando algo contra Davi. Pretendia Saul novamente enganar Davi? Certamente Saul esperava novamente enviando Davi à guerra, lanço um desafio a Davi. 
 
 20 Mas Mical, a outra filha de Saul amava a Davi; o que, sendo anunciado a Saul, pareceu isto bom aos seus olhos.



21 E Saul disse: Eu lha darei, para que lhe sirva de laço, e para que a mão dos filisteus venha a ser contra ele. Pelo que Saul disse a Davi: Com a outra serás hoje meu genro.


22 E Saul deu ordem aos seus servos: Falai em segredo a Davi, dizendo: Eis que o rei te está mui afeiçoado, e todos os seus servos te amam; agora, pois, consente em ser genro do rei.


23 E os servos de Saul falaram todas estas palavras aos ouvidos de Davi. Então disse Davi: Parece-vos pouco aos vossos olhos ser genro do rei, sendo eu homem pobre e desprezível?


24 E os servos de Saul lhe anunciaram isto, dizendo: Foram tais as palavras que falou Davi.


25 Então disse Saul: Assim direis a Davi: O rei não tem necessidade de dote, senão de cem prepúcios de filisteus, para se tomar vingança dos inimigos do rei. Porquanto Saul tentava fazer cair a Davi pela mão dos filisteus.


26 E anunciaram os seus servos estas palavras a Davi, e este negócio pareceu bem aos olhos de Davi, de que fosse genro do rei; porém ainda os dias não se haviam cumprido.

Mais esta vez Saul procurava se livrar de Davi. Não apenas tornou-se um homem, covarde, mas mesquinho e cruel. Na proposta feita a Davi de que ele deveria trazer ao rei 100 prepúcios de filisteus, como se fosse uma vingança, certamente Davi percebera o que Saul pretendia.
Mas de que adianta um homem fazer projetos contra o projeto do Senhor?
Não sabia Saul que o Deus de Israel é quem reina em Israel?
Não sabia Saul, de que ele era apenas um instrumento nas mãos de Deus?
Saul não tinha mais temor do Senhor, queria a todo custo manter o seu trono, e sabia, percebia, previa que o Senhor já estava preparando Davi para reinar em seu lugar. Saul sabia que as palavras ditas pelo profeta Samuel seriam cumpridas. Saul não estava fugindo das mãos do Senhor, mas estava tentando impedir o Senhor em cumprir a sua Palavra. Operando Deus quem impedirá?
 
Então Davi se levantou, e partiu com os seus homens, e feriu dentre os filisteus duzentos homens, e Davi trouxe os seus prepúcios, e os entregou todos ao rei, para que fosse genro do rei; então Saul lhe deu por mulher a sua filha.



28 E viu Saul, e notou que o SENHOR era com Davi; e Mical, filha de Saul, o amava.


29 Então Saul temeu muito mais a Davi; e Saul foi todos os seus dias inimigo de Davi.


30 E, saindo os príncipes dos filisteus à campanha, sucedia que Davi se conduzia com mais êxito do que todos os servos de Saul; portanto o seu nome era muito estimado

domingo, 2 de maio de 2010

DEUS REINA!? parte IV

Saul mandou que vestissem uma armadura em Davi. Mas Davi não erra um guerreiro costumado a usar aquele tipo de traje. Não conseguia mover-se, e aquela armadura poderia então ser-lhe fatal. Aí vemos inconcientemente o homem obstruindo o operar de Deus. Mas Davi tirou aqueles trajes, foi como dizemos de cara limpa. Apanhou apenas o seu cajado e sua funda. Tomou 5 pedras do rio e as colocou em seu alforge. E parou diante do gigante. logo aquele homem filisteu, guerreiro acostumado a enfrentar exércitos de homens treinados e acostumados à guerra, sentiu-se ofendido ao ver um moço franzino indo ao seu encontro para enfrentá-lo. Golias amaldiçoou a Davi, e disse. Porventura sou algum cão, para vir até mim com paus? hoje eu darei tua carne as aves do céu. Davi logo lhe respondeu prontamente. Você vem até mim, com lança, espada, escudos, mas eu vou a ti em nome Do Senhor dos Exércitos. Dos exèrcitos de Israel a quem tu tens afrontado.

Vejamos bem este texto. Cap 17-
 3- E os filisteus estavam num monte de um lado, e os israelitas estavam num monte do outro lado; e o vale estava entre eles.



4 Então saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era Golias, de Gate, que tinha de altura seis cóvados e um palmo.


5 Trazia na cabeça um capacete de bronze, e vestia uma couraça de escamas; e era o peso da couraça de cinco mil siclos de bronze.


6 E trazia grevas de bronze por cima de seus pés, e um escudo de bronze entre os seus ombros.


7 E a haste da sua lança era como o eixo do tecelão, e a ponta da sua lança de seiscentos siclos de ferro, e diante dele ia o escudeiro.

Golias estava protegendo o corpo com uma armadura, que seria impossível ser atingido. Mas a pedra que davi lançou o feriu justamente na testa entre os olhos. O único lugar do corpo que não havia como proteger, pois o capacete protegia a cabela por todos os lados, mas havia uma abertura entre os olhos. Davi era um bom atirador de funda? Acho que ele não confiou muito na sua destreza. Vemos que Golias avançou para Davi e Davi avançou ao encontro dele. Provavelmente Golias pensava em usar sua espada. Mas não teve tempo nem de tirá-la da bainha. Logo a pedra foi cravada em sua testa então caiu sobre o seu rosto. Não estava morto ainda, pois a história diz que Davi ficou em pé sobre o corpo do gigante, pegou a própria espada de golias e o matou. Ou seja desferiu-lhe um golpe com a espada, e depois de morto Davi cortou a cabeça do gigante. Caiu por terra o inimigo do povo de Israel. Os soldados do exército de Israel, logo criaram coragem e correram contra os filisteus. Já estes acovardados por terem visto o seu campeão cair morto pelas mãos de um moço sem preparo de guerreiro temeram. Acovardados fugiram. Logo Israel feriu os filisteus. Era a mão do Senhor, trabalhando agora para salvar o seu povo da afronta do inimigo e preparando o caminho de Davi para o trono de Israel.
 
A confiança que Davi tinha no senhor seu Deus, é contagiante.
48 Hoje mesmo o SENHOR te entregará na minha mão, e ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeça, e os corpos do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às feras da terra; e toda a terra saberá que há Deus em Israel;



47 E saberá toda esta congregação que o SENHOR salva, não com espada, nem com lança; porque do SENHOR é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão.

Davi tornou-se um herói, até mesmo Saul ficou maravilhado pelo ato de bravura. Mandou Abner trazer-lhe Davi, e queria saber de quem era filho.
Abner o trouxe até Saul, e Davi trazia na mão a cabeça de Golias.
Dá para imaginar, Davi caminhando em direção à saul, e uma multidão de soldados e oficiais à sua volta, acompanhando-o e desejosos de aproximar-se mais do herói que com uma simples pedra lançada derrotou o forte inimigo.
Diante daquele exército Saul já estava caindo, mas ainda não percebera isto. Só foi perceber isto mais tarde quando as mulheres cantavam e dançavam dizendo. SAUL MATOU MILHARES, DAVI PORÉM DEZ MILHARES.
Mas retomemos o acontecimento do encontro de Davi e Saul. Abner caminhando ao lado de Davi, aproximando-se de Saul. Certamente Saul pensaria, hoje um desconhecido salvou Israel, e a meu reino. Mal sabia Saul que diante dele estava o ungido do Senhor, para reinar em seu lugar. Vamos claramente como é que Deus trabalha e projeta os acontecimentos na vida de um homem quando Deus resolve fazer a sua obra.
Cap 18-
E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jónatas se ligou com a alma de Davi; e Jónatas o amou, como à sua própria alma.



2 E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai.


3 E Jónatas e Davi fizeram aliança; porque Jónatas o amava como à sua própria alma.


4 E Jónatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.


5 E saía Davi aonde quer que Saul o enviasse e conduzia-se com prudência, e Saul o pós sobre os homens de guerra; e era aceito aos olhos de todo o povo, e até aos olhos dos servos de Saul.

Aquele pequeno pastor de ovelhas, lá de Belém, estava agora crescendo, sendo conhecido em Israel, e o mais importante agora estava na casa real. Bem próximo do trono de Israel. Entrava e saía com prudência entre o povo, comandava agora homens de guerra. E qual seria o soldado que não quizesse estar comandado por Davi? O povo já o estava conhecendo, via-o com bons olhos. Assim é que Deus levanta a quem quer e abate quem deseja.
Temos em memória acontecimento idêntico na história contada no livro de Ester. Como foi que Deus trabalhou para livrar o seu povo das mãos de Amam, e ainda colocou Mardoqueu como primeiro ministro no reino dos Medos e Persas. Mardoqueu não precisou lutar, mas Deus trabalhou ao seu tempo. Abateu o inimigo Amam, que por simal era um amalequita. E honrou um judeu. Isto é a mão poderosa do Senhor.
 
Agora sim, Davi estava sendo elevado por Deus, e Saul sendo abatido. A palavra do Senhor enviada pelo profeta estava sendo cumprida ao seu tempo.
Deus o Senhor não tinha pressa, e de fato nunca tem pressa. O tempo de Deus é preciso, mas não é o tempo que nós imaginamos ou queremos que as coisas aconteçam. A paciência é uma ferramenta muito importante na vida do cristão. Aquele que serve ao Senhor tem que aguardar com paciência todas as coisas. Deus faz a sua obra no Seu tempo. Deus Reina!

sábado, 1 de maio de 2010

DEUS REINA!? parte III

Então respondeu um dos moços, e disse: Eis que tenho visto a um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente e vigoroso, e homem de guerra, e prudente em palavras, e de gentil presença; o SENHOR é com ele.



19 E Saul enviou mensageiros a Jessé, dizendo: Envia-me Davi, teu filho, o que está com as ovelhas.


20 Então tomou Jessé um jumento carregado de pão, e um odre de vinho, e um cabrito, e enviou-os a Saul pela mão de Davi, seu filho.

21 Assim Davi veio a Saul, e esteve perante ele, e o amou muito, e foi seu pajem de armas.


22 Então Saul mandou dizer a Jessé: Deixa estar a Davi perante mim, pois achou graça em meus olhos.


23 E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele.

Deus usa as pessoas certas, na hora certa. Aquele moço, que aparece apenas nesta parte da história, certamente um dia passando onde estava Davi, o viu tangendo a sua arpa. Foi por acaso? Ou apenas uma coincidência. Certamente haviam outros tocadores de arpa, mas aquele moço lembrou-se justamente de Davi, filho de Jessé o belemita. Isto chamamos de providência divina.
Foi a maneira que Deus o Senhor encontrou de aproximar Davi do trono de Israel, fazer com que em breve o povo de Israel o conhecesse. Pois de maneira alguma o povo iria aclamá-lo rei sem o conhecer, sem que alguma coisa o fizesse ser alguém de destaque no meio do reino. E nada melhor do que começar por aproximá-lo da casa real.
Saul ficara muito grato pela presença de Davi em sua casa, pois toda a vez que o espírito mau, o atormentava, Davi tocava a sua arpa e o espírito mau o deixava. Saul tinha gratidão por Davi. Davi certamente sabia que tudo aquilo estava sendo feito pela mão do Senhor. Sabia que estava sendo preparado para algum dia sentar-se no trono de Israel.
Em seguida vemos a mão forte e poderosa do Senhor fazendo de Davi um herói para o povo de Israel. Um fato que todos conhecemos muito bem. Quando Davi enfrentou o gigante Golias. Temos que observar os detalhes deste acontecimento atentamente, pois nos proporciona ensinamentos muitos importantes. Principalmente quando temos nossas vidas depositadas nas mãos do Senhor. Que ensinamentos são estes?
1º- Aprendemos com Davi primeiramente que a confiança em Deus, é muito maior que qualquer afronta que possa vir de nosso inimigo.
2º- A vitória não vem da coragem, da força nem da destreza, mas a mão de Deus pode nos conduzir à vitória.
3º- A certeza de que Deus está em nossa vida, nos dá coragem para enfrentarmos o inimigo, mesmo que pareça impossível vencê-lo aos olhos humano.
4º- A força do inimigo não pode assustar aquele que deposita no Senhor a sua confiança, Deus jamais abandonou o seu povo. 
 
Davi percebeu que o gigante afrontava não apenas o exercito de Israel, mas afrontava e blasfemava ao Deus de Israel. Por isto o Espírito do Senhor o tomou, e o levou à enfrentar aquele gigante. Não foi a sua própria vontade que o fêz enfrentar Golias, mas o Espírito do Senhor. Mais uma vez vemos o Senhor trabalhando e preparando Davi para ocupar o reino de Israel. Ainda não seria a hora, mas Deus estava trabalhando.
  
I Samuel cap 17-
E Davi era filho de um homem efrateu, de Belém de Judá, cujo nome era Jessé, que tinha oito filhos; e nos dias de Saul era este homem já velho e adiantado em idade entre os homens.



13 Foram-se os três filhos mais velhos de Jessé, e seguiram a Saul à guerra; e eram os nomes de seus três filhos, que se foram à guerra, Eliabe, o primogênito, e o segundo Abinadabe, e o terceiro Sama.


14 E Davi era o menor; e os três maiores seguiram a Saul.


15 Davi, porém, ia e voltava de Saul, para apascentar as ovelhas de seu pai em Belém.


16 Chegava-se, pois, o filisteu pela manhã e à tarde; e apresentou-se por quarenta dias.


17 E disse Jessé a Davi, seu filho: Toma, peço-te, para teus irmãos um efa deste grão tostado e estes dez pães, e corre a levá-los ao arraial, a teus irmãos.


18 Porém estes dez queijos de leite leva ao capitão de mil; e visitarás a teus irmãos, a ver se vão bem; e tomarás o seu penhor.


19 E estavam Saul, e eles, e todos os homens de Israel no vale do carvalho, pelejando com os filisteus.


20 Davi então se levantou de madrugada, pela manhã, e deixou as ovelhas com um guarda, e carregou-se, e partiu, como Jessé lhe ordenara; e chegou ao lugar dos carros, quando já o exército saía em ordem de batalha, e a gritos chamavam à peleja.


21 E os israelitas e filisteus se puseram em ordem, fileira contra fileira.


22 E Davi deixou a carga que trouxera na mão do guarda da bagagem, e correu à batalha; e, chegando, perguntou a seus irmãos se estavam bem.


23 E, estando ele ainda falando com eles, eis que vinha subindo do exército dos filisteus o homem guerreiro, cujo nome era Golias, o filisteu de Gate; e falou conforme àquelas palavras, e Davi as ouviu.


24 Porém todos os homens em Israel, vendo aquele homem, fugiram de diante dele, e temiam grandemente.


25 E diziam os homens de Israel: Vistes aquele homem que subiu? Pois subiu para afrontar a Israel; há de ser, pois, que, o homem que o ferir, o rei o enriquecerá de grandes riquezas, e lhe dará a sua filha, e fará livre a casa de seu pai em Israel.


26 Então falou Davi aos homens que estavam com ele, dizendo: Que farão àquele homem, que ferir a este filisteu, e tirar a afronta de sobre Israel? Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo?


27 E o povo lhe tornou a falar conforme àquela palavra dizendo: Assim farão ao homem que o ferir.


28 E, ouvindo Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se a ira de Eliabe contra Davi, e disse: Por que desceste aqui? Com quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção, e a maldade do teu coração, que desceste para ver a peleja.


29 Então disse Davi: Que fiz eu agora? Porventura não há razão para isso?


30 E desviou-se dele para outro, e falou conforme àquela palavra; e o povo lhe tornou a responder conforme às primeiras palavras.


31 E, ouvidas as palavras que Davi havia falado, as anunciaram a Saul, que mandou chamá-lo.


32 E Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá, e pelejará contra este filisteu.


33 Porém Saul disse a Davi: Contra este filisteu não poderás ir para pelejar com ele; pois tu ainda és moço, e ele homem de guerra desde a sua mocidade.


34 Então disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; e quando vinha um leão e um urso, e tomava uma ovelha do rebanho,


35 Eu saia após ele e o feria, e livrava-a da sua boca; e, quando ele se levantava contra mim, lançava-lhe mão da barba, e o feria e o matava.

Eliabe, o irmão mais velho, chamou-o de presunçoso. Irresponsável, por ter deixado as ovelhas para trás no deserto. Mas mal sabia ele que aquilo era mais uma vez a mão do Senhor trabalhando pelo reino de Israel.
Assim para mostrar que Deus o Senhor dá força ao fraco, ao humilde ele exalta, ao soberbo e exaltado o Senhor humilha e o abate até o chão. Porque DEUS REINA!


Parte IV

DEUS REINA!? parte II

Saul, apesar de ter sido escolhido por Deus. para reinar em Israel, errou. Desobedecendo a vóz do Senhor. Com isto, Deus decidiu que a sequencia do reinado em Israel, não seria continuada pela casa de Saul. Então o Senhor mandou o profeta Samuel ungir outro rei. O Senhor enviou a Samuel até para ungir um novo rei.
I Samuel cap 16:1 -Então disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite, e vem, enviar-te-ei a Jessé o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
O homem é totalmente falho, mesmo que seja ungido do Senhor, está sujeito ao erro, e pode ser drásticamente rejeitado pelo Senhor, se não depositar totalmente a sua confiança só no Senhor. O que podemos aprender com isto? Aprendemos que nenhum homem, qualquer que seja está livre do pecado, ou livre para fazer o que bem entender.
Aprendemos também que o homem, que não der ouvidos à Palavra do Senhor, não será jamais abençoado. Deus é justo, porém misericordioso. Quando Deus quer mostrar a um povo que é Ele quem reina, Ele toma o homem como uma ferramenta para mostrar o seu propósito. E foi assim que o senhor tomou Saul, para mostrar que o povo de Israel estava errado por rejeitar ao senhor como seu Rei. Porém Deus não abandona o seu povo, pois Deus é cumpridor de suas promessas, passe o tempo que passar. Agora o senhor escolhe um homem segundo o Seu coração. Davi, aquele pastor de ovelhas que não era lá em sua casa muito considerado, ou respeitado. Vejamos que ele até mesmo era esquecido por seus familiares. Quando Samuel viu passar diante dele todos os filhos de Jessé, e o Senhor lhe dizia que nenhum daqueles seria rei em Israel, Samuel então perguntou a Jessé. -Não tem nenhum outro filho?
Diante da pergunta então Jessé não pode esquecer, pois o seu filho Davi, fôra esquecido, e não estava entre eles.
Até parece cômica a maneira que está descrito aquele acontecimento.
Vejamos:
Fez, pois, Samuel o que dissera o SENHOR, e veio a Belém; então os anciãos da cidade saíram ao encontro, tremendo, e disseram: De paz é a tua vinda?



5 E disse ele: É de paz, vim sacrificar ao SENHOR; santificai-vos, e vinde comigo ao sacrifício. E santificou ele a Jessé e a seus filhos, e os convidou ao sacrifício.


6 E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe, e disse: Certamente está perante o SENHOR o seu ungido.


7 Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.


8 Então chamou Jessé a Abinadabe, e o fez passar diante de Samuel, o qual disse: Nem a este tem escolhido o SENHOR.


9 Então Jessé fez passar a Sama; porém disse: Tampouco a este tem escolhido o SENHOR.


10 Assim fez passar Jessé a seus sete filhos diante de Samuel; porém Samuel disse a Jessé: O SENHOR não tem escolhido a estes.


 Imaginemos a ansiedade de Jessé, passando os seus filhos, um após o outro diante de Samuel, e ouvir ali mesmo
o profeta dizer. O Senhor não tem escolhido a este. Eram certamente os filhos que Jessé imaginava que poderiam ter as qualidades para ser rei em Israel. Posso até mesmo imaginar a cara de decepção de Jessé.
Mas é assim mesmo, o homem vê a aparência, mas Deus vê o coração.

Disse mais Samuel a Jessé: Acabaram-se os moços? E disse: Ainda falta o menor, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda chamá-lo, porquanto não nos assentaremos até que ele venha aqui.



12 Então mandou chamá-lo e fê-lo entrar (e era ruivo e formoso de semblante e de boa presença); e disse o SENHOR: Levanta-te, e unge-o, porque é este mesmo.

Assim Samuel ungiu Davi, o filho menos de Jessé, diante de seu pai e seus irmãos. Depois disto Samuel se foi. Mas Davi foi ungido, não deveria ele então logo tomar posse do reino? Mas tudo tem o seu tempo determinado por Deus. Não era hora. Talvez os irmãos de Davi e até mesmo Jessé, acharam estranho o profeta ungir o menor de todos eles. Poderiam até mesmo dizer, é coisa de um profeta velho, noentanto nada comentaram, pois um profeta em Israel, principalmente se fosse bem velho era muito respeitado. E já desde o princípio Jessé demonstrava que era fiel ao Deus de Israel. Certamente apenas guardou em seu coração toda aquela cena, e lá na frente, mais tarde apesar de vermos que Jessé sai fora do cenário na história contada sobre o reinado de Davi.
Nesta história vemos claramente o Senhor Deus de Israel trabalhar, de forma meticulosa e sem pressa. Davi foi ungido, agora o Espírito do Senhor se afastara de Saul. E por má sorte de Saul apoderou-se dele um espírito mau, que o atormentava.
Quão difícil é a vida do homem que deixa do Senhor Deus, sua vida nada vale, sua vida se transforma em trevas, desolação, angustia, tormento e por fim a morte.
É o que aconteceu com Saul. Mas em tudo isto era a mão do Senhor trabalhando para em algum momento permitir que Davi subisse no trono de Israel.
Há um frase muito usada no meio evangélico que através desta história nós podemos entender que é uma frase, ou ditado popular que realmente está certo. "DEUS NÃO ESCOLHE OS CAPACITADOS, CAPACITA OS ESCOLHIDOS". 
Não fois isto que aconteceu com Davi? Deus primeiro o escolheu, mandou Samuel ungi-lo, e depois o capacitou para ser rei sobre Israel.
Saul nem se quer sabia da exisência de Davi. Era preciso então que alguma coisa acontesesse para que Deus colocasse Davi, mais próximo do trono de Israel.
E o Espírito do SENHOR se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do SENHOR.


15 Então os criados de Saul lhe disseram: Eis que agora o espírito mau da parte de Deus te atormenta;


16 Diga, pois, nosso senhor a seus servos, que estão na tua presença, que busquem um homem que saiba tocar harpa, e será que, quando o espírito mau da parte de Deus vier sobre ti, então ele tocará com a sua mão, e te acharás melhor.


17 Então disse Saul aos seus servos: Buscai-me, pois, um homem que toque bem, e trazei-mo.
Quem colocou as palavras na boca daqueles criados de Saul? Não vemos aí a mão do Senhor trabalhando? Certamente que sim. Quando Deus trabalha em algum empreendimento, na vida de alguém, ou de um povo, todas as coisas são resolvidas ao seu tempo. Nada há que venha impedir o operar de Deus, e daqui por diante veremos Deus operando, tramando, trabalhando, manipulando tudo e todos, para que o Seu desejo se cumpra.

Quando tudo está nas mãos de Deus, nada impede o seu operar. Tudo tem o seu tempo, e o que Deus determinar pela sua Palavra, ninguém irá impedir o seu operar.
Passe o temo que passar Deus Reina!

Parte III